Galeria

15 de Novembro no dia-a-dia dos Beatles

1965:
06Finalização da mixagem do disco “Rubber Soul”.

Veja a matéria: O experimentalismo e a sofisticação de Rubber Soul”.

1969:
Os Beatles são capa da revista Rolling Stone em sua última sessão de fotos.

1970:
Paul McCartney entra com uma ação na justiça contra John Lennon, George Harrison, Ringo Starr e a Apple, para dissolver a sociedade dos Beatles.

1974:
Ringo Starr lança o disco “Goodnight Vienna”.

John Lennon é filmado andando por Nova York com o objetivo de montar um clipe para “Whatever Gets You Thru The Night”, o que não aconteceu. Hoje, essas filmagens são o clipe de “Mind Games”, no DVD “Lennon Legend”.

Uma resposta para “15 de Novembro no dia-a-dia dos Beatles

  1. “Paul McCartney entra com uma ação na justiça contra John Lennon, George Harrison, Ringo Starr e a Apple, para dissolver a sociedade dos Beatles”. Está aí a causa dos ataques de John. Paul, mineiramente, nada disse…mas fez. Trabalhou em silêncio. Mas li um artigo escrito por um advogado que acompanhou o caso onde vemos que não foi bem isso. Pelo que entendi o motivo da ação foi se livrar de Allen Klein. Mas estava claro que isso levaria os Beatles ao fim. Quero dizer que seu desejo principal não era dissolver a sociedade e sim impedir que Klein continuasse a prejudicá-lo financeiramente. Por não ter assinado o tal documento, Paul não podia processar Klein. Tinha de processar os companheiros que tinham como despedi-lo. Paul levou um ano para tomar essa decisão. Sabia que ficaria como vilão. O povo não sabia que ele tinha tentado de tinha alertado a todos diversas vezes, mas não ouviam. Os Beatles já não mais existiam! Mas oficialmente continuavam a existir. Paul não acabou com a banda…ela já tinha se dissolvido. Mas como legalmente ainda existiam, ele estava sendo muito prejudicado porque Klein era o empresário. Paul não teve outra opção. Para piorar seus advogados eram os Eastams. As vezes penso se não havia mesmo outra opção. Não sou advogada, e mesmo se fosse, não saberia porque cada país tem suas leis. Segundo os Eastmans não havia outra. Era isso ou poderia ir à falência. O juis que deu ganho de causa a ele comentou no final, ao ver todas as provas contra Klein, irrefutáveis, que não só entendeu porque Paul levou tanto tempo para se decidir. Ora, porque seria o fim dos Beatles oficialmente. E ele é que seria odiado. Não havia provas que John já tinha decretado que a banda tinha se dissolvido. Mas depois o próprio John revelou isso. E ainda ficou aborrecido porque Paul falou antes deles. Ele queria ter o prazer de dar a má notícia. É quando eu vejo mistérios no ar. Isso não foi nada compreensível. Querer dar a má notícia…Não faz sentido. Sei que Paul acabou abrindo o processo mesmo, mas saiu assim…como se seu desejo fosse acabar co a banda. Isso foi consequência. Ele tomou a decisão e caiu em depressão por longo tempo. Quase se matou de tanto beber e se drogar porque já não era mais um Beatle. Eu sofri, nós sofremos…sem nem imaginar que muito mais sofria ele. Isso me doi até hoje, pois estava lá em Londres, em frente a sua casa, sem saber de seu drama.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s