Galeria

18 de Outubro no dia-a-dia dos Beatles

1957:
Paul McCartney estreia no Quarrymen com uma apresentação no Conservative Club em Liverpool.

1964:
Sessão de gravação de “Eight Days a Week”, “Kansas City/Hey-Hey-Hey-Hey!”, “Mr Moonlight”, “I Feel Fine”, “I’ll Follow The Sun”, “Everybody’s Trying To Be My Baby”, “Rock And Roll Music” e “Words Of Love”.

1965:
Os Beatles gravam “In My Life” e adicionam overdubs em “If I Needed Someone”.

1967:
Os Beatles e suas companheiras comparecem a estreia de “How I Won The War”, estrelado por John Lennon.

1968:
John Lennon e Yoko Ono são presos no apartamento que pertencia a Ringo Starr em Montague Square, acusados de posse de maconha. John afirmou posteriormente que a droga fora implantada pela própria polícia e que ele só assumiu a culpa e pagou fiança para livrar Yoko de maiores preocupação, visto que estava grávida.

1982:
Lançamento na Inglaterra da coletânea “Beatles 20 Gratest Hits”.

give_my_regards_to_broad_street_poster1984:
Paul e Linda McCartney dão uma coletiva de imprensa sobre o filme “Give My Regards to Broad Street”.

Assista ao filme completo e legendado aqui.

1988:
Lançamento nos EUA do disco “Traveling Wilburys Vol. 1”.

Uma resposta para “18 de Outubro no dia-a-dia dos Beatles

  1. Parece que poucos gostam de “Give my Regards to Broad Street”. Já vi comentários desfavoráveis entre fãs. Não estou incluída nesse time. Eu só não gosto de duas coisas. Não gosto da presença de Linda, mas isso eu relevei, visto que ela estava em todas, eu não podia fazer nada. Pelo menos ela aparece pouco. Pouquissimo. E, para compensar, temos a presença de Ringo! Também não gosto do final. Faltou imaginação. Também relevei porque tudo o mais é tão bonito! Acho que o grande problema foi imaginarem que seria um filme convencional. Eu não o olho dessa forma. Para mim é apenas uma oportunidade de ver e ouvir Paul nos mostrando inclusive antigos sucessos dos Beatles com roupagem nova. Trilha sonora de primeira qualidade. Como um grande video clipe, assim como também foi o Magical Mistery Tour. Há momentos no filme que me deixam até sem fôlego de tanta beleza. Vi o filme por um canal de TV…Teria sido a Globo? Eu e minha mãe. Nós deliramos. Uma viagem que nem sei falar a respeito porque entrei no filme, andei de carro com ele pelas ruas londrinas, tomei chá…o chá inglês típico que adoro…Estive no estúdio, adorei George Martim! E ainda viajei no tempo o que me causou uma certa experiência mística. Tive a impressão que conhecia pessoalmente aquele Paul de capa e cartola com o cachorro…E ele era meu namorado! kkkkk. Como eu não podia gostar de um filme que me proporcionou tal fantasia? Então eu o aluguei no cine clube do Brasil e ainda tirei cópia em fita de video, que hoje só vale porque sei o que se encontra ali. Agora falando como crítica de cinema. Pois é, eu fui crítica durante quatro anos, num tempo em que para ser crítica pedia-se algum conhecimento. Isto é, eu estudava, eu aprendia, eu me dedicava, por simples prazer, visto que não era contratada, não tinha carteira assinada, nada disso. Diziam que eu era “colaboradora” do Jornal do Norte. Era bom porque via todos os filmes sem pagar nada. Fui bem considerada e até meio que inovadora na forma de escrever meus comentários, sem impor nada aos leitores e sendo o mais informativa possível. Com isso posso dizer com tranquilidade que “Give my Regards to Broad Street” é um trabalho do mais fino bom gosto e perfeito no que propõe: nos mostrar a genialidade musical de Paul McCartney. Sinceramente eu não penso que ele tenha tido pretensões maiores. Que luxo o toque de glamour perdido desde os anos setenta com David Bowie e que Paul atreveu-se a incorporar visto que era um filme, sendo permitido imaginar. Muito presente esse toque quando canta Ballroom Dancing. Chique. Algum tempo depois vi um show de Bowie com elementos semelhantes. Paul está incrivelmente natural atuando com grandes nomes do teatro e do cinema passando um clima de doce intimidade também em seus momentos sozinho…Sozinho? Não. Rodeado da energia de pessoas como eu que entram na tela e se aconchegam. Que delícia. Parece que George foi convidado a participar e não aceitou, tendo sido contra o projeto…porém até que apreciou o filme depois de pronto. Alguém sabe detalhes sobre isso?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s