Galeria

Dom Hélder Câmara: ‘Os jovens precisam completar a mensagem dos Beatles’

Dom Hélder Câmara (1909-1999), cearense, foi nomeado arcebispo em 1964, inicialmente nomeado para São Luís, e posteriormente para Olinda e Recife, sua nomeação ocorreu pouco antes de acontecer o golpe militar. Após escrever um manifesto de apoio à ação católica operária em Recife, foi acusado de demagogia e comunismo, sendo proibido de se manifestar publicamente. Dom Hélder provavelmente foi uma das pessoas mais visada pela censura e vigiada pela repressão com acurada atenção.

No ano de 1969, quando a repressão militar estava no ápice com diversos casos de sumiços e torturas sendo denunciados, o arcebispo de Olinda e Recife no mês de abril foi convidado para proferir conferências em Londres e na cidade de Manchester.

Dom Helder_1969_01

Naquela ocasião, segundo o jornal O Globo, o prelado teria conclamado aos estudantes de todo mundo que se unissem aos Beatles em denunciar a sociedade da época. Ele citou os Fab Four quando disse à plateia: “Vocês devem completar a mensagem dos Beatles” e complementou afirmando que o grupo musical de Liverpool havia dado exemplo e na ocasião “jovens colegas dos Beatles protestam contra a forma monstruosa  em que vivemos hoje, com nossos falsos valores, contra a ridícula mecanização de tudo, inclusive do dinheiro”, continuando, falou que os jovens estudantes deveriam mudar fundamentalmente a norma do comércio internacional, eliminando o neocolonialismo, fomentando o desenvolvimento de toda a humanidade.

A imprensa brasileira, na época controlada pelo Estado, aproveitou a época conturbada que o grupo inglês vivia (especialmente George Harrison e John Lennon envolvidos com flagrantes de posse de drogas) e deturpou a mensagem de Dom Hélder “vendendo a ideia” que a juventude deveria seguir o exemplo dos Beatles também quanto ao uso de drogas e entorpecentes.

George Harrison e Pattie saindo do Tribunal de Walton em 31/03/1964

George Harrison e Pattie saindo do Tribunal de Walton em 31/03/1969

John Lennon e Yoko Ono saindo do Tribunal londrino em outubro de 1968 após acusação de porte de drogas

John Lennon e Yoko Ono saindo do Tribunal londrino em outubro de 1968 após acusação de porte de drogas

Após a publicação do artigo nos jornais brasileiros, muita gente criticou severamente o arcebispo que supostamente estaria influenciando negativamente a juventude.

Um dos maiores críticos que alfinetou o arcebispo foi o jornalista e escritor Nelson Rodrigues, que de forma contínua, quase que diariamente na sua Coluna publicava algo sobre as colocações de Dom Hélder Câmara. A montagem abaixo dá um exemplo das palavras do autor de “A Vida Como Ela É” (clique na imagem para ampliá-la):

Em dezembro de 1969, ainda podia ser lida as críticas do pernambucano Nelson Rodrigues ao prelado nordestino. A imagem acima é uma montagem de dias distintos

Em dezembro de 1969, ainda podia ser lida as críticas do pernambucano Nelson Rodrigues ao prelado nordestino. A imagem acima é uma montagem de dias distintos

Uma curiosidade sobre a personalidade e coragem do religioso: Certo dia, o governo militar, preocupado com a segurança do arcebispo de Olinda e Recife, temendo que algo acontecesse a ele e a culpa recaísse sobre a ditadura militar, enviou delegados da Polícia Federal para lhe oferecer um mínimo de proteção. Disseram-lhe: “Dom Helder, o governo teme que algum maluco ameace o senhor e a culpa recaia sobre o regime militar. Estamos aqui para lhe oferecer segurança“. Dom Helder reagiu: “Não preciso de vocês, já tenho quem cuide de minha segurança”. “Mas, Dom Helder, o senhor não pode ter um esquema privado. Todos que têm serviço de segurança precisam registrá-lo na Polícia Federal. Esta equipe precisa ser de nosso conhecimento, inclusive devido ao porte de armas. O senhor precisa nos dizer quem são as pessoas que cuidam da sua segurança“. Dom Helder retrucou: “Podem anotar os nomes: são três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo“.

Mais informações:

Dom Helder, Pastor da Liberdade: http://www.pe-az.com.br/dh/recife.htm

Dom Helder Câmara: “O Santo Rebelde”. (1ª Parte):

Por Beatlelado
@Beatlelado2

Anúncios

4 Respostas para “Dom Hélder Câmara: ‘Os jovens precisam completar a mensagem dos Beatles’

  1. Lembro demais de Dom Helder, das acusações que recebia, das críticas…Vivíamos na ditadura. George foi preso em março, bem no dia do casamento de Paul. Mesmo dia. Dom Helder falou na mensagem dos Beatles em abril. Estava claro que não se referia às drogas e sim ao que diziam em suas músicas e também ao que representavam. Mas aproveitaram a oportunidade e jogaram a foto de George com ‘sua loura’. Só faltaram dizer que era loura burra. Valeu Dom Helder. Nós, os jovens da época, entendemos!

  2. Otavio machado

    1972 no ultimotrecho da subida da ladeira da Sé. Avistei-o e fui conversar com ele. Se nos falamos não lembro de uma palavra. Só da sensação: de leveza. Era como pisar em nuvens. Ele sabia ouvir como se tivesse todo o tempo. Os cães ladram e a caravana passa.

  3. Extrema Direita

    Os Beatles sempre foram uma banda superestimada. Não tocavam nada, eram limitados e medíocres. nos anos 60 já existiam bandas muito superiores a eles. Os Yardbirds eram infinitamente melhores, assim como os próprios Stones. Isso sem falar em John Mayall and the Bluesbrakers, banda na qual Clapton tocou. Agora sobre esse lixo chamado Dom Hélder, nada mais era do que um comunista infiltrado na Igreja Católica para desvirtuar o Evangelho e disseminar o comunismo para a revolução. E os Beatles eram um lixo. E pensar que eu curtia essa porcaria quando criança. Acordei a tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s