Galeria

Paul McCartney e o sucesso arrasador do disco “Tug of War”

Em outubro de 1980, Paul McCartney se voltou para um velho projeto que consistia em juntar algumas faixas nunca gravadas para um novo álbum que se chamaria “Cold Cuts”. Paul e seus Wings trabalharam nesse projeto durante um mês na fazenda dele em Sussex, mas o projeto foi cancelado.

paul_mccartney-tug_of_war(1)

Em novembro, Paul e Denny Laine se juntaram no estúdio de George Martin em Montserrat. Paul McCartney começou então a elaborar um novo álbum em colaboração com George Martin. Esta seria a primeira colaboração dos dois desde “Live And Let Die”, de 1973. Então, os Wings acabaram. Foram dispensados Laurence Juber e Steve Holly e “Back To The Egg” foi o último e definitivo trabalho dos Wings.

Para o novo álbum, Macca queria ter vários convidados de peso para a gravação das canções. Em dezembro de 1980, John Lennon foi brutalmente assassinado e Paul interrompeu as gravações, decidindo recolher-se em Sussex. Finalmente voltou para Monserrat em fevereiro de 1981 e começou a gravar o que seria “Tug of War”. Vários músicos famosos foram convidados para participar das faixas do novo álbum: Dave Mattacks, Steve Gadd, Carl Perkins, Stevie Wonder, Stanley Clarke, Eric Stewart e Andy MacKay. Paul também recebeu a visita de Ringo Starr e George Harrison e começaram a gravar uma composição nova de George, “All Those Years Ago”, em homenagem a John Lennon. Foi quando finalmente Denny Laine e Paul terminaram a parceria definitivamente durante as primeiras sessões de Tug Of War. Denny começou sua carreira de solo, porém não obteve sucesso algum.

tug1O álbum “Tug Of War” foi lançado em abril de 1982 e muito bem recebido pelos críticos. Até hoje, para muitos, considerado como o melhor desde “Band On The Run”. A qualidade do álbum é indiscutivelmente sentida na colaboração entre Paul e George Martin e o acompanhamento dos artistas escolhidos por Paul desde o inicio das gravações do álbum, sem mencionar a maturidade crescente de Paul que, aquela altura mostrava-se ainda melhor como compositor e como artista.

“Tug Of War” foi um sucesso arrasador em todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos, onde ficou durante 3 semanas em primeiro lugar. Ainda figurou nas paradas americanas durante 29 semanas. Por “Tug Of War”, Paul foi premiado como o melhor artista britânico e melhor contribuição para música britânica (BPI Awards) em 1982. Esta obra-prima é dada o chute inicial com a música tema, Tug Of War, belíssima balada que começa lentamente com uma introdução acústica e, ao decorrer, se torna mais elétrica e poderosa, contando com o apoio de uma orquestra. Nesta canção, como em muitas outras do álbum, Eric Stewart auxilia ainda nos vocais de apoio juntamente com Paul e Linda. Sem dúvida alguma, um álbum fundamental em qualquer discoteca, de fãs dos Beatles, ou apenas de boa música. “Tug Of War” levou ainda para as paradas o megassucesso gravado com Steve Wonder “Ebony and Ivory” e a maior paulada do disco: a clássica “Take It Way”, além da belíssima homenagem a John Lennon, “Here Today”. Senhoras e senhores, agora com vocês, Sir Paul McCartney. Boa diversão!

Fonte: O Baú do Edu

 

Anúncios

4 Respostas para “Paul McCartney e o sucesso arrasador do disco “Tug of War”

  1. Quando comprei Tug of War, ou melhor, quando ouvi o disco pela primeira vez eu logo me deslumbrei. A meu o melhor disco até então de Paul na carreira solo. Confesso que cheguei a pensar: “Vai ver que John fez contato porque o disco está com sabor de Beatles.” Tirando fora um ou outro arranjo só surgido nos seus discos solo com uma voz feminina ligeiramente brega ( depois saquei que era Linda) o disco me comoveu até às lágrimas. Juro que não sabia desse sucesso arrasador. Dentro do meu coração tinha sido arrasador, mas que bom saber que foi geral. E eu que não tinha me dado conta que Martin estava na jogada? Martin e McCartney sempre se deram muito bem. Parceria genial.

  2. O tal arranjo que falei aparece bem exatamente em Tug of War. Arrepiante essa música. Não sei sua origem mas eu pensei logo em forma como ele e John Lennon se comunicaram por anos num verdadeiro cabo de guerra. ” We were trying to outdo each other in a tug of war…” A música pode ter outro sentido,mas parecia que os dois estavam mesmo tentando superar um ao outro num cabo de guerra. Ms..”.num outro mundo…estarão dançando…” Que coisa mais linda. De repente entram vozes femininas que destoam num arranjo previsível inadequado para uma canção tão linda. Coisas que jamais aconteciam nos tempos dele como Beatle. Nada que chega a comprometer o valor da música, diga-se de passagem. Ainda choro sempre que a ouço. Mesmo porque sempre penso que tem mesmo a ver com aquelas briguinhas infantis e que ele se deu conta disso de tal forma que acaba sendo um hino de amor.

  3. Sera que mais alguém sentiu sons brasileiros em algumas das músicas deste álbum? Eu cheguei a sentir a brisa marinha de Recife…Falando sério.

  4. Pingback: 15 de Maio no dia-a-dia dos Beatles | The Beatles College

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s