Galeria

George Harrison e a história por trás da canção “Blue Jay Way”

magical-mystery-tour

“Blue Jay Way” foi escrita por George em agosto de 1967, durante a viagem à Califórnia que fez com Pattie, Neil Aspinall e Alex Mardas (Magic Alex). Ao chegar em Los Angeles, no dia 1º de agosto, eles foram levados para um pequeno chalé com piscina, alugado em Blue Jay Way, uma rua no alto de Hollywood Hills, acima da Sunset Boulevard. Ele pertencia a Robert Fitzpatrick, advogado do mercado musical que estava de férias no Havaí.

9

Derek Taylor, antigo assessor de imprensa dos Beatles que estava trabalhando em Los Angeles como publicitário, ia visitá-los em sua primeira noite na cidade, mas se perdeu nos estreitos cannyons e se atrasou. Havia um pequeno órgão Hammond no canto da sala, e George passou o tempo compondo uma música sobre estar preso em uma casa em Blue Jay Way enquanto seus amigos estão perdidos na neblina.

Blue Jay Way era famosa pela dificuldade da localização – era possível estar próximo geograficamente e, ainda assim, separado por um desfiladeiro. “Quando chegamos lá, a música estava praticamente pronta”, diz Derek Taylor. “Claro, na época eu me senti muito mal. Lá estavam essas duas pessoas terrivelmente cansadas da viagem, e nós estávamos duas horas atrasados.”

10

Taylor se divertiu com as interpretações dadas à música. Um crítico achou que o verso em que George pede que seu convidado não demore (be long) era um conselho para os jovens não pertencerem (belong) à sociedade. Outro aclamado musicólogo acreditava que, quando George disse que seus amigos tinham se perdido (lost their way), queria dizer que uma geração inteira tinha perdido a direção. “É só uma música”, disse Taylor.

Veja mais fotos do “simplório” bangalô.

Fonte: O Baú do Edu

Anúncios

Uma resposta para “George Harrison e a história por trás da canção “Blue Jay Way”

  1. Fantástico. Conhecia a história mas não sabia das interpretações. ” Apenas uma canção…” Nunca o que nos veio deles pode ser classificado como apenas uma canção. Elas são maravilhosas demais com poder transformador porque nos sentimos tão enlevados.Curioso é que quando as ouço sempre parece estar ouvindo pela primeira vez. Sempre descubro algo novo e sinto algo novo. Linda experiência tive algora ouvindo Blue Jay Way. Embora tenha receio da deificação devido ao exagero impossível não investigar se realmente suas músicas não trazem mensagens benéficas para todos nós. Penso assim porque sempre provocaram sensações e sentimentos dentro dos fãs completamente únicos. Nunca nada igual aconteceu nem antes nem durante nem depois. Segundo um texto que li recentemente, sem autoria, eles se inspiravam em algo comum ( amigos perdidos no nevoeiro, por exemplo) mas diziam muito mais. Os amigos foram a inspiração, assim como Martha a cachorra também foi. Mas a letra seria para todos nós. Como se cantassem para nós. Nem sempre sabiam do que falavam. Compunham de forma inconsciente. Canalizavam. Quem sou eu para dizer se é verdade. Mas como bateu bem dentro de mim a interpretação do musicólogo. Sou daquele tempo. É a minha geração. E sim, nós nos perdemos no nevoeiro. Agora é esperar pelo sol. E…it’s allright.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s