Galeria

O desrespeito da Capitol com a discografia dos Beatles

George Bernard Shaw estava correto em afirmar que a Grã-Bretanha e América eram dois países “separados por uma língua comum”. A nova caixa dos álbuns dos Beatles com os lançamentos americanos oferece a confirmação musical.

Lançado para comemorar o 50º aniversário da primeira visita do grupo na América, esses álbuns estão disponíveis no Reino Unido pela primeira vez, e proporcionando uma grande surpresa ao revelar como que os dois países encaravam os Beatles.

ahdn

Os EUA demoraram para perceber os Beatles. A Capitol (parceira da gravadora EMI) perdeu a oportunidade de lançar os primeiros singles da banda, o que, consequentemente, aconteceu no selo independente Vee- Jay Records.

Ao lado de uma enxurrada de singles de sucesso, a Capitol saqueou e destruiu o catálogo dos Beatles, para criar uma nova série de discos completamente diferentes, lançando um novo e vasto material e exibindo um total desrespeito às intenções originais da banda.

hlp

No final do ano de 1964, os Beatles tinham lançado um total de quatro álbuns no Reino Unido, representando uma progressão clara no entusiasmado do rock e R&B. Esses discos mostravam uma evolução no tipo de composição de “Please Please Me” e “With The Beatles” para o triunfo de “A Hard Day’s Night” e a reflexão influenciada no folk em “Beatles for Sale”. A Capitol, pelo contrário, tinha inundado o mercado com nada menos que seis álbuns em um ano, destruindo a evidente evolução da banda, com uma série de discos ordenadas aleatoriamente.

Então, para confundir ainda mais as coisas, eles começaram 1965 retornando novamente para The Early Beatles, num ano em que o grupo estava escalando as alturas de “Help!” e “Rubber Soul”.

Os dois álbuns da trilha sonora são, talvez, as profanações mais sem vergonha, cada uma tomando apenas o primeiro lado da versão britânica equivalente com a música incidental do filme e as versões instrumentais de canções já em destaque no álbum – ótimo para karaoke, talvez, mas não dando nenhum valor ao feito extraordinário da “A Hard Day’s Night”, em particular: o primeiro álbum inteiro de canções de Lennon & McCartney .

Não foram só os conteúdos diferentes, mas em muitos casos a música real era substancialmente diferente das versões britânicas em termos sonoros,com mixagens e compressões extras que geravam atraso – especialmente nos vocais – para atender às exigências do mercado americano e criando o bizarro “Duophonic”: um ‘falso stereo’ nas mixagens de faixas mono.

yt

Os Beatles ficaram compreensivelmente consternados com a atitude arrogante da Capitol, tudo para expandir a quantidade de produto disponível. Daí, talvez, o “Butcher’s Cover” onde os garotos estão em jalecos brancos, sorridentes segurando cortes sangrentos de carne e bonecas desmembradas, uma imagem clara de “matar nossos bebês” – que eles apresentam como a primeira capa de “Yesterday And Today”,uma mistura bizarra de duas faixas do “Help!”, quatro de “Rubber Soul”, e três do ainda a ser lançado álbum “Revolver”, além dois singles.

Quando os varejistas se opuseram a este item de mau gosto em suas prateleiras, a Capitol rapidamente mudou o álbum e colou novas capas mais simples sobre a foto ofensiva, criando um novo objeto de coleção. O álbum, no entanto, mostra uma das maiores calúnias lançadas pela gravadora americana, diminuindo o impacto de “Rubber Soul” e, principalmente, de “Revolver”, ainda considerado por muitos como um dos maiores álbuns já gravados.

yt2

Ao invés do banquete cheio de clássicos, oferecido aos ouvintes britânicos, que não deixou dúvidas de que a banda estava viajando em uma variedade de direções inéditas na música pop, os norte-americanos tiveram que se contentar com as versões bizarras em sequências parciais como indicativos de extraordinária diversidade do grupo.

Fonte: Diário dos Beatles

8 Respostas para “O desrespeito da Capitol com a discografia dos Beatles

  1. Pingback: 20 de Janeiro no dia-a-dia dos Beatles | The Beatles College

  2. “Uma puta falta de sacanagem”, com toda certeza!

  3. Romero Osme Dias Lopes

    A capa do disco H E L P (inglês, brasileiro, ) é formada pelos quatro beatles, cada um sinalizando uma letra da palavra SOCORRO (em inglês, off course) baseando-se em código internacional, usado quando em situação de perigo, naufrágio, etc). No original, portanto, o George representa a letra H: John, a letra E: Ringo o P e Paul o L. Perfeita sintonia entre o que se pretendia. MAS…, no LP norte-americano (cuja capa está acima deste comentário), os norte-americanos inverteram a sequência e formou-se uma palavra desconexa (H P E L). Aí, os Beatles reagiram e criaram a capa intitulada Açougueiros, que culminou na substituição dos 10.000 LPs editados no Canadá., hoje ícones preciosos para os colecionadores (existe também um LP japonês, recente)

  4. Romero Osme Dias Lopes

    Edcarlos. A fonte utilizada para a afirmação polêmica consta no livro “Beatlemania”, de Ricardo Pugialli, Edição de 2008, cujo autor trabalhou como consultor da vinda do Maestro e produtor dos Beatles, George Martin, quando de sua visita ao Rio Janeiro, constante a página 165. Vide o link no final do comentário. Pode-se afirmar perfeitamente que a linguagem corporal idealizada pelos quatro e que suscitou a interpretação que estamos analisando, é bastante crível, defensável e lógica (não à luz das afirmações do fotógrafo contidas no link enviado – o que não se discute). Contudo, repete-se, o visual da capa inglesa e da brasileira, pode remeter o intérprete a mesma conclusão do autor do livro, pois já li em revistas especializadas a mesma opinião.. Admito que desde quando adquiri o original LP, em 1965, fui induzido, através de leituras da época, que essa “realidade” era inconteste. Finalizando, sugiro apenas a título de ilustração e justificativa, em relação a esta “crença dogmática”, que continuemos visualizando HELP nas referidas capas, expressadas pela “leitura corporal inconteste das referidas letras”, simbolizadas por George (H), John (E), Paul (L) e Ringo (P), como mostra o segundo link. Isto, sem polemizarmos com os sinais de bandeiras incontestáveis, mencionados pelo fotógrafo Robert Freeman e apontado por você, com conhecimento de causa. Apenas para perpetuarmos uma das mais inventivas e belas “interpretações” dentre as milhares que cercam os FAB FOUR e nos cercam, eternos fãs.

    file:///D:/Users/romero.osme/Downloads/anexo%20beatles.pdf#https://beatlescollege.wordpress.com/2014/01/20/o-desrespeito-da-capitol-com-a-discografia-dos-beatles/

    • Amigo, a diferença entre as capas é óbvia. Mas a sigla definitivamente não quer dizer HELP e isso é indiscutível, basta fazer uma pesquisa pelos sinais e suas letras correspondentes.

  5. Pingback: Os álbuns do “The U.S. Albums” não são os “The U.S. Albums”! | The Beatles College

  6. Obviamente,os mercados de discos nos anos 60,eran bem diferente se tratando de preferencias,Na Europa era comun um Lp levar 13.ou 14 musicas,era uma adquisisao cara,ainda mais se fosse Stereo,Mono era sempre mais em conta,ja para quem queria economisar tinha 1 ou dos EPs,(Compacto duplo 4 musicas) com o melhor do lado 1 ou lado 2 do album e com capas fantasticas,ja os compactos simples nao tinhan nen capa so a marca da companhia gravadora.Na America era tudo o contrario.Os Lps tinhan so 10 ou 11 musicas,os Eps practicamente nen exitian,(Os Beatles tiveram 3 eps so, na America) ,um da Vee-jay,e 2 da Capitol.Ja o single na America era bem preciado,levaba capinha e tudo.Esplico esto pois tem que entender o modo de ver dos Americanos em geral,era bem diferente aos Europeos.Quando os Beatles lacaram Love me do,Please Please me,From me to you, e She loves you ,a Capitol se recusaba a lançar material dos Beatles,A VEE-JAY foi quem lançou o famoso Introducing the Beatles,que saiu em USA 10 dias antes do Meet The Beatles,Como a VEE-Jay tinha contrato ate outubro de 1964,Lançou duas veses o Introducing the Beatles,a primeira com Love me do/PS i Love you,e a segunda com Please Please me/Ask me why.sem contar que aproveito,mudou a capa do Introducing the Beatles e relançou pela terceira vez com o nome de :SONGS,PICTURES AND STORIES OF THE FABOLOUS BEATLES,isto nao e nada,ainda re-lançou pela quarta vez em 64,ja como album duplo com o nome de THE BEATLES VERSUS FOUR SEASON,esse album duplo incluia um lp do THE FOUR SEASON tudo isto sem contar que fez um album de dialogos e entrevistas chamado de HEAR THE BEATLES TELL ALL,e tambem lançou um album de Frank Ifield com 4 musicas dos Beatles.todo isso em 1964,se juntar o material da Veejay com o da Capitol,mais o da Atco/MGM,que tambem lançou o material dos Beatles com Tony Sheridan,voces tem mais de 10 Lps so em 1964.O A HARD DAYS NIGHT que saiu pela UNITED ARTIST,em 1964 nao tinha nada a ver com a Capitol,era por contrato do filme,que saiu pelo mesmo selo.A Capitol retomou os direitos en 1980.Os propios Beatles detestavan essas ediçoes,poreso quando renovaran contrato com a EMI em 1967,umas das entrelineas especificaba que todos os albunes deles dai em frente terian de ser iguais ao Reino Unido,foi assim a partir de SGT PEPPER.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s